MENSAGEM ESPECIAL DO CONSELHO DE DIRETORES DA SRF/YSS

A SRF anuncia seu novo presidente: Irmão Chidananda é eleito presidente e líder espiritual da SRF/YSS

MENSAGEM ESPECIAL DO CONSELHO DE DIRETORES DA SRF/YSS

1o de setembro de 2017

Meus queridos,

O Conselho de Diretores da Self-Realization Fellowship tem a alegria de compartilhar com vocês a notícia de que o Irmão Chidananda foi eleito presidente e líder espiritual da Self-Realization Fellowship/Yogoda Satsanga Society of India, sucedendo Sri Mrinalini Mata que ocupou esse cargo de janeiro de 2011 até seu falecimento no mês passado. Ele foi eleito por unanimidade pelo Conselho de Diretores da SRF nesta quarta-feira, 30 de agosto de 2017.

Antes de sua morte em 2010, Sri Daya Mata, então presidente da SRF, expressara a Mrinalini Mata a convicção de que o Irmão Chidananda sucederia a própria Mrinalini Mata como presidente e líder espiritual da SRF/YSS. Mrinalini Mata afirmou isso alguns meses antes do seu próprio falecimento em 3 de agosto de 2017, e comunicou ao Conselho de Diretores estar de acordo com a recomendação de Daya Mata.

Irmão (Swami) Chidananda tem sido monge da Self-Realization Fellowship (SRF) há 40 anos e membro dos Conselhos de Diretores da SRF e da YSS nos últimos oito anos. Quase desde o começo de sua vida monástica ele trabalhou com Sri Mrinalini Mata, recebendo seu treinamento permeado de sabedoria e em sintonia com o Guru, enquanto a ajudava na revisão e edição das palavras de Paramahansa Yogananda e em outras publicações da SRF.


Um despertar para servir a Deus e à obra da SRF

Nascido em 1953 em Annapolis, Maryland, seu primeiro encontro com os ensinamentos de Paramahansa Yogananda e sua obra da Self-Realization Fellowship se deu em Encinitas, no começo da década de 1970, quando era estudante de sociologia e filosofia na Universidade da Califórnia, em San Diego. Atraído por seu longo interesse na espiritualidade da Índia, Irmão Chidananda visitou o Ashram da SRF em Encinitas, ao norte do campus da universidade, um ponto de referência familiar a muitos estudantes que moravam nas comunidades litorâneas adjacentes.

Alguns meses depois, deparou-se com uma cópia da Autobiografia de um Iogue e foi instantaneamente cativado pela grande sabedoria e consciência divina que se expressavam naquelas páginas. Durante seu último ano na universidade, inscreveu-se para receber as Lições da Self-Realization Fellowship e começou a frequentar os serviços da SRF em Encinitas. Ele se sentiu profundamente inspirado pelas palestras do Irmão Anandamoy, que era o ministro do templo naquela época, e também se beneficiou de seu aconselhamento pessoal. Foi nesse ambiente sagrado – tão permeado com as vibrações de Paramahansaji – que ele foi profundamente influenciado pelos monges e monjas que ali viviam, e o desejo de dedicar sua vida inteiramente à busca de Deus e ao serviço à obra de Paramahansa Yogananda como discípulo monástico despertou quase que imediatamente.

Irmão Chidananda entrou no ashram de postulantes monásticos em Encinitas em 19 de novembro de 1977, e lá passou um ano e meio sob a orientação estrita e amorosa do Irmão Premamoy, o santo tutor e responsável pelo treinamento dos jovens monges. Foi o Irmão Premamoy quem sugeriu a Sri Mrinalini Mata que considerasse a ideia de aceitar esse jovem monge no Departamento Editorial da SRF. Em abril de 1979, após concluir seu treinamento de postulante, Irmão Chidananda foi transferido para a Sede Internacional da SRF em Mount Washington, e foi imediatamente designado ao trabalho editorial no Departamento de Publicações, servindo sob a direção de Mrinalini Mata e sua corredatora-chefe, Sahaja Mata, ambas as quais tinham sido pessoalmente treinadas pelo Guru para revisar seus escritos e palestras a ser futuramente publicados.

Pouco após o falecimento de Sahaja Mata em 1996, Irmão Chidananda foi indicado pela então presidente Sri Daya Mata para o Conselho Internacional de Publicações da SRF/YSS, no qual ele serviu em estreita colaboração com Daya Mata e Mrinalini Mata até o falecimento da primeira, em 2010. Durante esse tempo, ajudou essas duas veneráveis discípulas diretas na preparação e publicação de muitas obras, incluindo-se os volumosos comentários de Paramahansaji sobre as escrituras (God Talks With Arjuna: The Bhagavad Gita e A Segunda Vinda de Cristo: A ressurreição do Cristo interior), bem como todas as outras publicações da SRF lançadas a partir de 1980 até hoje. Após anos recebendo de Daya Mata, Mrinalini Mata e Sahaja Mata um treinamento progressivamente mais profundo, ele foi designado por Mrinalini Mata para sucedê-la após seu falecimento, como redator-chefe das publicações da SRF/YSS.

Em 1917, Irmão Chidananda recebeu de Sri Daya Mata os votos finais de sannyas. Seu nome monástico Chidananda significa “bem-aventurança (ananda) por meio da infinita Consciência Divina (chit)”. Ministro ordenado da Self-Realization Fellowship, ele tem compartilhado os ensinamentos de Paramahansa Yogananda em visitas monásticas e programas de retiro nos Estados Unidos, Canadá, Europa e Índia – bem como na Convocação Mundial da SRF realizada anualmente em Los Angeles. Em 2009, foi indicado por Sri Daya Mata para membro dos Conselhos de Diretores da SRF e da YSS, e também serviu por muitos anos na comissão de supervisão que fiscaliza as múltiplas atividades e operações da SRF sob a direção da presidente.

“Buscar juntos a Deus como o único Amado de nossas almas…”

Falando aos discípulos monásticos da SRF depois que sua eleição foi anunciada, Irmão Chidananda disse:

“É com humildade e consciência de que Gurudeva Paramahansa Yogananda será sempre o líder desta organização que peço as orações e a ajuda de todos vocês enquanto procuro atender ao pedido de nossas amadas Sri Daya Mata e Sri Mrinalini Mata para seguir em frente acompanhando seus passos. O compromisso delas de ser um canal puro do amor de Gurudeva – o divino exemplo de procurar sintonizar cada pensamento, decisão e ação com a vontade e orientação dele – tem sido a minha inspiração durante toda a minha vida no ashram; e é com um sentimento de responsabilidade sagrada que espero servir a esta grande obra de Deus e dos Gurus nos anos à frente, confiando na ajuda, nas orações, na boa vontade e na amizade divina de todos vocês.

“Cada um de vocês é um discípulo escolhido do Mestre, e eu tiro o pó de seus pés no reconhecimento de que é somente como uma família espiritual unida dos chelas de Gurudeva que podemos, juntos, continuar a promover esta grande obra da SRF/YSS, no mesmo espírito de divino amor, alegria e autoentrega – buscando Deus, como o único Amado de nossas almas, nesse espírito que nosso Guru nos impôs e o qual, profetizou ele, seria a vida e a força de sua organização por todos os tempos vindouros. Jai Guru! Jai Ma!”

Para a família espiritual da SRF/YSS em todo o mundo, Irmão Chidananda deseja transmitir a seguinte mensagem:

“Meus queridos: no amor de Deus e do Guru saúdo a todos vocês e peço as contínuas bênçãos Deles a todos nós enquanto trilhamos este abençoado caminho de meditação de Kriya Yoga e vivemos em sintonia com o Ser Divino que Paramahansa Yogananda nos trouxe. Em nome dele, sinto-me humildemente grato pela oportunidade de servir a todos vocês, como também se sentem todos os monges e as monjas nos ashrams da SRF/YSS. Como um grupo mundial de almas que buscam a Deus – seja como discípulo leigo, seja no caminho monástico – vamos nos unir, agradecidos pelas bênçãos espirituais destes ensinamentos e decididos a aprofundar nosso próprio sadhana e a comunhão interior com Deus e os Grandes Gurus. Que cada um de vocês sinta Suas bênçãos incessantes. Jai Guru!”

Atenciosamente e em amizade divina,

Irmã Preeti, Secretária
Em nome do Conselho de Diretores da SRF e YSS

2017 – Mensagem de Páscoa de Sri Mrinalini Mata

Ó Espírito, ordena à minha alma que se erga do sepulcro da pequenez para a vastidão de Tua onipresença. Eleva sua consciência encerrada na matéria, conduzindo-a para a liberdade onipresente em Ti.

- Paramahansa Yogananda

 

Que durante esta época abençoada da Páscoa, ao refletir sobre a inspiração da vida divina e ressurreição gloriosa de Cristo, ela possa reavivar em seu interior a lembrança do infinito potencial de suas próprias almas e motivá-los a buscar com maior zelo a liberdade plena de alegria que ele conquistou. Jamais duvidem de sua capacidade de ser bem-sucedidos, pois Deus nos proveu a todos com o poder da mente e da vontade para nos erguer acima da identificação com o corpo e com as tendências da natureza humana. Ele também nos deu o exemplo daqueles que, tal como o Senhor Jesus, demonstraram que, embora tenhamos de vivenciar as dualidades do mundo, não precisamos ser dominados por elas.

É o nosso ambiente interior – se optamos por viver na vasta liberdade e plena abrangência da percepção de Deus ou na pequena e restrita esfera da consciência do ego – o que determina, mais do que qualquer condição externa, o grau de paz, felicidade e realização espiritual que alcançamos. A mensagem libertadora da Páscoa nos reassegura que somos seres de luz e alegria imortais e que jamais poderemos ser permanentemente confinados no casulo da consciência do ego. A Consciência Crística presente dentro de nós está sempre nos atraindo à nossa própria ressurreição por meio de nossas aspirações espirituais, mediante as verdades universais exemplificadas pelas almas unidas a Deus e especialmente através de nossas experiências no campo de provas da vida diária.

Gurudeva referiu-se à ressurreição como “a arte de emergir daquilo que somos, transformando-nos naquilo que seremos no futuro”, e nos disse: “Sempre que você abandona uma fraqueza, sentindo-se feliz em ser bom, Cristo ressuscita outra vez. Você pode trazer a Consciência Crística ao seu interior neste exato momento (…).” Essa liberdade divina é conquistada por intermédio de muitas pequenas vitórias. Cristo nos mostra o caminho ao lembrar-nos que devemos amar a Deus com todo o nosso coração, mente, alma e forças, e amar ao próximo como a nós mesmos. Ao comungar com Deus e desenvolver um relacionamento íntimo e amoroso com Ele – tal como Jesus possuía –, estabelecemos uma conexão com a Fonte infinita de nosso ser; e os relacionamentos humanos também se destinam a expandir nossa consciência para além de nossas próprias necessidades e carências. Nossa divindade inata desabrocha quando – em vez de termos a expectativa de receber dos demais – nos tornamos doadores de amor, compreensão e perdão. A maneira de agir do mundo implica em retaliação e ciclos infindáveis de vingança; o caminho do amor crístico é o que traz cura aos nossos corações e aos demais.

Quanto mais meditarmos profundamente e vivermos segundo os princípios de Cristo, mais comprovaremos que os grilhões de maya e do ego se dissolvem na realidade gloriosa da presença de Deus, que a tudo satisfaz. Ao ressuscitarmos para essa consciência, e à medida que o amor divino manifestado por Jesus flua de modo crescente através de nossa vida, cada um de nós estará cumprindo a sua parte para ressuscitar a influência da luz de Deus neste mundo.

Uma Páscoa alegre e abençoada para vocês e os que lhes são caros,

Sri Mrinalini Mata

fonte: SIte oficial da SRF – Link

Meditações Dirigidas

“Quando você medita por muito tempo (…) a glória do Divino resplandece. Você percebe então que, o tempo todo, havia dentro de você algo extraordinário, e você não sabia disso.”
- Paramahansa Yogananda

Faça uma pausa em sua rotina agitada — dê a si mesmo o presente do silêncio. Mergulhe num oásis de paz, amor e luz.

2016 – Mensagem de Páscoa de Sri Mrinalini Mata

“Abençoa-nos nesta manhã, ó Cristo, para que possamos perceber o significado universal de tua ressurreição: que nossas almas, reflexos da Consciência Crística, ressuscitem para sempre em tua Consciência Imortal.”
— Paramahansa Yogananda

 

 

Saudações de Páscoa a vocês, com muita alegria, desde os ashrams de Paramahansa Yogananda! Ele nos ensinou a reverenciar a mensagem pascal da ressurreição como uma eterna afirmação – dirigida a todos os filhos de Deus – de que, não importa quão obscuras sejam as nuvens tempestuosas deste mundo conturbado, temos o poder para nos elevar acima delas, alcançando uma percepção mais vasta da luz e da glória de Deus.

Avatares como o abençoado Senhor Jesus encarnam para nos demonstrar com seu exemplo a maneira de viver divinamente em meio às dualidades da criação. Eles enfrentaram as forças obstrutivas de maya, tal como nós todos precisamos fazer, e venceram. Aparentemente, a crucificação de Cristo afigurou-se uma derrota humilhante. Todavia, como um resplandecente dardo de luz trespassando a obscuridade, sua ressurreição foi uma gloriosa vitória não apenas sobre a morte, mas simbolicamente sobre todas as limitações mortais – uma vitória que continua a aclarar, para as almas receptivas, a verdade de que não somos este corpo, mas seres divinos irrevogavelmente dotados com a imortalidade, a alegria e o amor do Espírito.

Os dias sagrados da época de Páscoa estão repletos de comoventes lembranças do drama divino encenado por Jesus para o encorajamento e a inspiração perenes de toda a família humana. Nosso guru Paramahansaji escreveu: “Jesus sabia que por meio de sua ressurreição a onipotência de Deus seria revelada, enquanto que sua crucificação exemplificaria a humildade de Deus, que deseja ensinar Seus filhos rebeldes e ignorantes valendo-se unicamente do amor”. Quando celebrada de acordo com seu verdadeiro significado espiritual, a Páscoa é portanto uma ocasião de suprema alegria, uma oportunidade para redescobrir que uma vida repleta de alegria é o resultado da prática diária da ressurreição – em nossas atitudes e ações e na maneira de nos relacionarmos com os demais. Pelo fato de vivermos num mundo imperfeito, é fácil nos determos indevidamente nos defeitos presentes nos outros, na sociedade e em nós mesmos. Mas se buscamos o bem, fazemos o bem e tentamos trazer à luz o bem nas diversas circunstâncias que encontramos, então conectamos nossa vida diária com o poder redentor do amor de Deus neste mundo – a Consciência Crística que tudo permeia.

Todos temos cruzes individuais a carregar, mas a maneira como decidimos carregá-las determina seu efeito sobre nós. A verdadeira vitória de Jesus Cristo foi o amor e o perdão que ele demonstrou na cruz. Também em nossa vida, as experiências contra as quais o ego se rebela podem ser libertadoras para a alma. Quando o orgulho do “pequeno eu” é crucificado, temos uma oportunidade de aprender a humildade que nos confere paz. Quando os outros nos são hostis, podemos vencer os impulsos do ego prodigalizando bondade e compreensão. Se o corpo tem problemas e reagimos com destemor e equânime fé na vontade de Deus, podemos trazer à tona a natureza heroica da alma e, por meio da entrega confiante, aprofundar nosso relacionamento com Ele. Sempre temos o poder para eleger a luz em vez das trevas. As escolhas que fazemos podem transmutar nossas cruzes em instrumentos para promover nossa perfeição – para ressuscitar, do sepulcro da consciência mortal, a alma sempre plena de bem-aventurança.

Possam vocês sentir essa ressurreição interior na quietude da meditação e ao viverem com o pensamento de Deus ao longo de cada dia. Minha prece de Páscoa por vocês é que o infinito amor crístico – em que habitam Jesus e todos os Mestres Divinos – os desperte para o seu próprio Eu imortal e para as qualidades divinas de sua alma, de modo que sua vida e ações possam verdadeiramente irradiar a luz, a paz e a beleza de Deus.

Carinhosos votos de uma alegre e abençoada Páscoa para vocês e os que lhes são caros,
Sri Mrinalini Mata

Páscoa 2014 por Sri Mrinalini Mata

“Erguendo-se acima da consciência do corpo, eleve seu espírito desde o domínio da matéria até a vastidão do silêncio no templo de sua própria alma, e comungue com o Cristo ressuscitado. ”

- Paramahansa Yogananda

 

 

 

A época sagrada da Páscoa traz a lembrança – revigorante para a alma – de nossos próprios potenciais divinos, que foram tão sublimemente exemplificados por Jesus Cristo em seu sacrifício de supremo amor, na cruz, e em sua gloriosa ressurreição. Ao sintonizar-nos com a consciência de Jesus, unida a Deus, a Graça Divina nos toca o coração e a mente para nos despertar, ajudando nosso espírito a erguer-se das cruzes da vida, do sepulcro do estreito egoísmo e da ilusão de estarmos separados de Deus. O exemplo da ilimitada compaixão de Cristo continua a prover incontáveis almas com a certeza de que Deus é um Pai infinitamente amoroso, a quem podemos nos dirigir sem medo, e de que Ele está sempre estendendo Sua mão para elevar-nos acima das crucificações de maya e das falhas autolimitantes de nossa natureza humana, a fim de que possamos ressuscitar nossa inata divindade por meio de Sua graça divina.

Gurudeva Paramahansa Yogananda nos disse: “Jesus demonstrou em todos os seus atos de auxílio aos doentes e abandonados, e na consumação do sacrifício de seu corpo para aliviar os pecados de muitos, o incomparável amor de Deus que é uma infinita magnitude de compaixão e clemência”. O Pai Celestial oferece esse ilimitado amor e clemência a cada alma, porque Ele pode ver – por trás dos véus de maya que obscurecem nossa própria visão – a imagem divina que está dentro de cada um de nós, esperando para ser revelada. Ao nos dirigirmos a Ele com o amor e a confiança de uma criança, tornamo-nos receptivos à Sua graça e permitimos que Sua luz e Seu poder impregnem nosso ser e dissolvam os padrões equivocados de pensamento e de ação que nos têm mantido prisioneiros. “O amor por Deus – a entrega a Deus – destrói no homem o karma da ignorância”, assegurou-nos Gurudeva. “O amor puro – o amor divino – remove as barreiras que se interpõem entre o homem e seu Criador.” Ao oferecer a Ele o nosso amor e ao sintonizar nossa vida com Sua vontade, assim como Jesus o fez, encontramos a chave para a ressurreição de nossa própria alma e para que também a humanidade ressuscite dos infindáveis ciclos de erro e punição que têm atormentado sua história.

Quando abrimos o coração ao bálsamo curativo da clemência e da compaixão de Deus, retiramos da consciência o fardo dos erros passados, revitalizando nossos esforços por tornar-nos aquilo que Deus idealizou ao criar nosso ser: almas com liberdade de expressar sua natureza divina e imortal. A cada passo que damos no sentido de abandonar ressentimentos e oferecer compreensão e perdão aos demais, agimos como instrumentos de Seu amor e progredimos no caminho da vitória espiritual trilhado por Cristo e por todos os Grandes Mestres. É mediante a profunda comunhão interior com o Ser Divino que compreenderemos plenamente como Jesus foi amparado em sua grande provação e pôde sentir amor incondicional por todos – mesmo por seus inimigos mais implacáveis. Quando o amor de Deus preenche o coração no templo do silêncio, as limitações do “pequeno eu” imergem no Eu superior e a animosidade deixa de existir; permanece apenas o desejo de ajudar os outros e a alegria de servi-los. Esta é a consciência em que Cristo viveu, e para a qual Deus tenta despertar a todos nós!

Desejo a vocês e aos que lhes são caros uma Páscoa muito abençoada e feliz,

Sri Mrinalini Mata
Copyright © 2014 Self-Realization Fellowship. Todos os direitos reservados

Mensagem de Ano Novo de Sri Mrinalini Mata – 2013

Carta original em inglês
Carta original no site do Mother Center em português

Inspirados pelas bênçãos da época do Natal, vamos acolher cada dia do novo ano com a mente e o coração receptivos às infinitas possibilidades de transformações positivas e de progresso espiritual que se abrem diante de nós. Foi uma grande alegria receber cumprimentos natalinos de tantos amigos e membros de nossa família espiritual. Suas palavras amáveis e lembranças, bem como sua afabilidade ao longo de todo o ano que passou, são preciosas expressões da amizade divina que compartilhamos. À medida que progredimos, unidos no pensamento de Deus, eu oro para que as verdades universais presentes nos ensinamentos de Paramahansa Yogananda possam iluminar seu caminho e apressar seus passos.

Para o sucesso em todos os campos durante o novo ano, não existe maior ou mais poderoso incentivo do que o concedido por Gurudeva quando revisamos todos os dias seus escritos e palestras divinamente inspirados. Considerem profundamente esta motivação que é revigorante para a alma e com a qual ele encorajou os devotos reunidos na Sede Central na véspera do ano-novo de 1934:

“Atravesse os portais do Ano Novo com renovada esperança. Lembre-se de que é filho de Deus. Aquilo em que você se tornará depende de você mesmo. Orgulhe-se de ser filho de Deus. O que você tem a temer? Não importa o que aconteça, acredite que é o Senhor quem lho envia, e você precisa superar esses desafios diários. Nisso está sua vitória. Cumpra a vontade de Deus; nada então poderá afetá-lo. Ele o ama eternamente. Pense nisso. Acredite nisso. Saiba isso; e de súbito, um dia, você descobrirá que está eternamente vivo em Deus.“Medite mais e acredite na firme percepção de que Deus está sempre a seu lado, não importa o que aconteça. Então você verá que o véu da ilusão é removido, e se tornará um com o Ser que é Deus. Foi assim que encontrei a maior felicidade em minha vida.”

Meus votos e minhas preces de ano novo por vocês são que, com seu olhar sempre fixo na estrela polar da presença de Deus, vocês O sintam guiando e energizando cada um de seus esforços espirituais. Estejam certos de que Ele está difundindo – através do constante progresso que desse modo vocês alcançarão – a influência pacificante e iluminadora de Seu infinito amor.

Um Ano Novo feliz e abençoado para vocês e os que lhes são caros,

Sri Mrinalini Mata
Copyright © 2012 Self-Realization Fellowship. Todos os direitos reservados.

Natal 2012 por Sri Mrinalini Mata

Carta original em inglês
Carta original no site do Mother Center em português

Celebrar verdadeiramente o Natal significa meditar e preparar sua mente para essa ocasião sagrada, de modo que você possa experimentar em seu interior o nascimento de uma nova consciência de fraternidade universal e amor por todas as criaturas vivas.”
- Paramahansa Yogananda 

 

Natal 2012

Bênçãos natalinas, honrando o nascimento do Senhor Jesus na forma finita de um menino, na qual estava encarnado o Cristo Infinito – a onipresença de Deus na criação! Rezo para que vocês experimentem, em seu coração e em sua alma, o amor, a paz e a alegria universais de Cristo, que se manifestaram em Jesus. Celebrem o Natal com a percepção espiritual interna do amor e da luz de Deus que expandem a consciência – o auxílio e o amparo, invisíveis mas incessantes, que Deus concede através de Seus avatares ao longo das eras. Mantenham seus pensamentos e sentimentos sintonizados com fé nessa bênção a fim de receber plenamente as dádivas divinas da elevação espiritual que lhes são oferecidas com especial amor e graça durante esta época sagrada. As vibrações de paz e alegria em suas festividades aliviarão o peso das preocupações e incertezas diárias, concedendo-lhes, no calmo centro de seu próprio ser, uma convicção intuitiva sobre as qualidades que refletem Deus e sobre os potenciais que transcendem qualquer limitação – e que, conforme nos assegurou Jesus, constituem nossa herança. Ele nos mostrou o caminho para essa realização: Amar a Deus em primeiro lugar e acima de tudo, “de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de toda a tua mente”; e em segundo lugar, amar “ao teu próximo como a ti mesmo” – viver uma existência de reverente meditação absorvida em Deus e de atividade permeada de compaixão, serviço e conduta guiada pelas qualidades da alma.

Referindo-se a Jesus, Gurudeva Paramahansa Yogananda disse: “Para a visão humana, ele é o menino nascido em Belém e o salvador que curou os doentes e ressuscitou os mortos. Para a visão divina, ele é a percepção crística em todo o espaço e em cada átomo. Você deveria desejar ardentemente conhecer esse Cristo em seu interior.” Guruji iniciou o costume de termos um dia especial de meditação, todos os anos, antes do Natal. Ao celebrar o “Natal espiritual” por meio da meditação longa e profunda, com devoção e anseio espiritual por conhecer o verdadeiro significado do Cristo presente no Senhor Jesus, vislumbramos o reino da paz de Cristo, que transcende o entendimento humano. Temos plena convicção de que também nós podemos viver na consciência em que Cristo viveu – com alegria e coragem –, não mais governados pelas circunstâncias ou pela obsessão do ego por desejos e apegos ilusórios. Ancorar a nossa vida no amor altruísta e na verdade significa despertar a consciência de nossa eterna conexão com o Espírito, mesmo enquanto ainda vivemos neste mundo.

Durante esta época sagrada, possam vocês receber generosas bênçãos, como dádivas natalinas do amor de Deus, de Cristo e dos Gurus.

Sempre em Seu amor e bênçãos incessantes,

Sri Mrinalini Mata

Copyright © 2012 Self-Realization Fellowship. Todos os direitos reservados.